Dicas Essenciais de Viagem

Tierra Patagonia

Descubra a Patagônia

Uma cultura nativa que levou milhares de anos para se desenvolver, exploração pioneira e paisagens impressionantes: esta é a Patagônia Chilena. No sul da Patagônia, você encontrará o Parque Nacional Torres del Paine, com seus picos emblemáticos, lagoas de superfície espelhada e glaciares imensos, sem mencionar as inúmeras trilhas, os esportes ao ar livre repletos de adrenalina e uma rica herança cultural. De Sir Francis Drake e Lady Florence Dixie a Charles Darwin, muitos passaram por essas terras, mas poucos quiseram ir embora.

A Geografia da Patagônia e Torres del Paine

A Patagônia como um todo abrange cerca de 1 milhão de km2 de desfiladeiros implacáveis, lagos de montanha profundos e os extremos meridionais da vida em terra, sendo que o Parque Nacional Torres del Paine ocupa 1.814 km2 dessas paisagens variadas. Em meio ao tapete de exuberantes florestas de pinheiros e lengas, Torres del Paine abriga nada menos que quatro gigantescos glaciares: Grey, Pingo, Francês e Dickson, todos com seus próprios e pitorescos lagos glaciais e formações rochosas circundantes. A Patagônia chilena é, em termos gerais, mais montanhosa do que sua vizinha argentina, e as três Torres emblemáticas estão entre as mais famosas de todas.

 Flora e Fauna no Parque Nacional Torres del Paine 

O Parque Nacional Torres del Paine está repleto de espécies de plantas nativas e vida animal perfeitamente adaptada. Extensões de árvores das espécies faia, lenga e coihue preenchem as florestas, enquanto as das espécies notro, casca-de-anta e fúcsia ladeiam as trilhas de caminhada e ocupam as planícies. Orquídeas, íris e tremoços envolvem as margens dos rios e entremeiam as matas, florescendo durante os meses mais quentes, juntamente com inúmeras ervas semeadas naturalmente. A vida selvagem também é abundante aqui, sendo que o parque abriga mais de 100 espécies de aves, 30 mamíferos diferentes, répteis e uma variedade infinita de insetos. Entre os habitantes mais conhecidos estão o condor-dos-andes, o avestruz, a raposa-cinzenta-argentina, falcões, águias, lagartos, flamingos e rãs, além de muitos outros.

A observação de pássaros e os passeios a cavalo são um ótimo complemento para qualquer roteiro, entre as atividades de aventura pelas quais o Tierra Patagonia é conhecido, com muitos mirantes sensacionais, locais de nidificação e habitat naturais facilmente explorados na companhia de nossos guias locais especializados.

 Aventuras ao Ar Livre em Torres del Paine

Inegavelmente um dos melhores destinos do mundo para todos os tipos de atividade ao ar livre – desde caminhadas leves e excursões fotográficas até caiaque, ciclismo, cavalgada e trilhas –, o Parque Nacional Torres del Paine, na Patagônia chilena, tem de tudo. Há dois motivos principais pelos quais essa região é tão procurada: uma é a abundância de aventuras ao ar livre em meio a terrenos variados e ambientes naturais diversificados, e a outra é a apreciação de sua beleza natural. No tempo que passar aqui, você poderá gastar a quantidade de energia que achar conveniente, já que há uma ampla gama de excursões e saídas voltadas aos interesses e à aptidão física de pessoas de todas as idades e capacidades.

 A História Antiga de Torres del Paine

O Tierra Patagonia faz parte da Patagônia chilena desde 2011; no entanto, a presença humana na região que hoje constitui o parque nacional vai muito além disso. O povo indígena tehuelche foi um dos principais grupos que ocuparam essas terras há mais de mil anos, adaptando-se, ao longo do tempo, à pressão dos invernos rigorosos e dos verões muito curtos. Há indícios de que outras tribos nômades de caçadores-coletores – como os selk’nam, yaghan e kaweskar – transitavam entre Torres del Paine e o vizinho Parque Nacional Tierra del Fuego, pescando nos lagos e coletando alimentos nas florestas. A exploração externa da região se consolidou no fim do século 19, quando grupos de vaqueiros chilenos pioneiros provenientes do Norte perambularam e se instalaram aqui, assim como fizeram os visitantes europeus do começo do século 20 em diante. Todos os quais hoje desempenham seu papel na história e no patrimônio da Patagônia.

A Cultura de Estância de Torres del Paine

Viver e prosperar na Patagônia requer engenhosidade e adaptabilidade, sendo que as estâncias e fazendas de cavalos da região desempenharam um papel crucial na sobrevivência de seu povo, sobretudo nos séculos 18 e 19. Aqui, o pastor habilidoso dependia fortemente de sua relação com os cavalos para cultivar e roçar vastas extensões de terra, arrebanhando gado e pastoreando ovelhas e usando também a força e a destreza de corcéis confiáveis para chegar a terras que, de outra forma, seriam inóspitas. Percorrer as distâncias com rapidez também era essencial, e é por esses motivos que a cultura das estâncias e fazendas de cavalo permanece tão presente na psique das pessoas até hoje. Já as cavalgadas lentas e recreativas são muito mais apropriadas para o viajante do século 21, havendo incontáveis trilhas e rotas disponíveis para qualquer pessoa que deseje ter um gostinho desse estilo de vida tradicional.

  • Explore more of Chile

Tierra News