Blog

11 Objetivos de conservação no Parque Torres del Paine

Na Patagônia chilena existem algumas regras básicas que devemos seguir para não danificar seu frágil meio ambiente. As bonitas paisagens do extremo sul do mundo contêm uma ampla biodiversidade, importantes sítios arqueológicos e uma valiosa memória histórica que devem ser protegidos por todas as pessoas que percorrem suas trilhas.
fevereiro 18, 2021

Diego Salas

Quando visitamos as áreas naturais, como o Parque Nacional Torres del Paine, devemos saber a importância de reduzir ao mínimo possível o impacto que geramos com cada um de nossos atos. Desta maneira, estaremos protegendo e conservando seu patrimônio natural e cultural.

Atualmente, há espécies em perigo de extinção e uma memória histórica que é fundamental preservar. Por este motivo, as excursões no Tierra Patagonia sempre procuram manter um profundo respeito pela natureza e pelas comunidades locais.

Sem deixar rastro de nossos passos, podemos conhecer as diferentes atrações deste maravilhoso lugar através de trekkings, cavalgadas, passeios de bicicleta, etc. Felizmente, existem trilhas com diferentes intensidades de dificuldade e, por isso, com o devido preparo, qualquer pessoa pode aproveitar a surpreendente Patagônia.

Estes são alguns dos objetivos de conservação mais importantes que o Parque Nacional Torres del Paine e seus arredores possuem.

  1. Huemul – Natalia Reyes.

    Huemul: Este animal é um emblema do Chile e, ao lado do condor, faz parte da bandeira nacional. Proteger esta espécie de cervo significa cuidar de seu hábitat durante todo o seu ciclo de vida. É muito difícil vê-lo, devido à sua escassez e normalmente é encontrado em bosques e regiões íngremes.

  2. Puma: Este felino é um símbolo das Torres del Paine e está catalogado como quase extinto. Sua conservação é muito importante, já que, ao ter uma variedade de mobilidade pela região, sua existência beneficia outras espécies como guanacos, raposas e emas.
  3. Bosque primário de Nothofagus: Os incêndios florestais impactaram fortemente a presença desse tipo de bosques. Sua conservação é fundamental por ser o hábitat de muitas espécies, como o pica-pau negro, aves de rapina, morcegos, carnívoros e também diferentes tipos de cogumelos e flores, entre outras.
  4. Vegetação alto andina: Este objetivo de conservação se refere à vegetação endêmica localizada em maior altura, composta por volta de 180 espécies, o que representa entre 40 e 50 por cento dos tipos de plantas do Parque.
  5. Matorral – pradaria: A conectividade entre bosque e pradaria é possível graças a esse ecossistema, composto principalmente por matorrales de altura média. Isto permite que uma grande quantidade de animais como pumas, emas e tatus, entre outros, o tenham como refúgio e alimentação. Por isso é muito importante sua conservação.
  6. Pântanos. Estes reservatórios de água doce são muito frágeis e cumprem uma função de balanço hídrico fundamental para os ambientes que os rodeiam. São ecossistemas aquáticos que contêm uma grande biodiversidade, sendo o hábitat de alimentação e de criação de diferentes aves, insetos e anfíbios.
  7. Recursos hídricos: Dentro e fora do Parque Nacional Torres del Paine existe uma grande quantidade de lagos, lagoas, rios, glaciares e campos de gelo. Além de sustentar a vida humana, a água é um recurso de vital importância para a flora e fauna, motivo pelo qual, para garantir sua conservação, se deve monitorar a quantidade e a qualidade.
  8. Paisagem visual: Conservar a beleza cênica do parque significa proteger um dos principais atributos da Patagônia chilena. Para isso foram criadas uma série de iniciativas coordenadas que procuram cuidar de cada um dos aspectos que compõem a paisagem. A combinação de formas, cores e texturas determina essa qualidade visual que deslumbra seus visitantes durante todo o ano.
  9.  Sítios Paleontológicos: Fósseis e formações calcáreas, como os trombolíticos encontrados na margem do lago Sarmiento, muito perto do hotel Tierra Patagonia, são objetos de conservação devido a seu atributo histórico que nos dão uma mostra de como era a vida há milhões de anos.
  10. Sítios Arqueológicos: Os tehuelches ou Aonikenk foram um povo nômade terrestre que habitou este território há cerca de 11 mil anos. Até hoje existem evidências de sua marca, como as pinturas rupestres. A conservação do legado cultural é essencial para gerações presentes e futuras.
  11. Memória histórica: Os gauchos fazem parte da identidade cultural do território que hoje compreende o Parque Torres del Paine. Foram aqueles que trabalharam essas terras, antes de serem declaradas Parque Nacional. Para conservar este aspecto, se procura preservar a infraestrutura de antigas estâncias, rotas de gado – que hoje são trilhas – e a toponímia usada, entre outras coisas. No Tierra Patagonia, por exemplo, são realizadas diversas excursões a cavalo com a participação dessas estâncias e baqueanos que compartilham suas histórias e piadas.

O Parque Nacional Torres del Paine é um lugar maravilhoso que merece ser protegido por todos aqueles que o visitam. É muito importante que isso seja tomado com responsabilidade e, por este motivo, o Tierra Patagonia se comprometeu a cumprir e promover as boas práticas de meio ambiente e preservação cultural.



Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Nossos artigos mais recentes

Artesanato em pedra vulcânica

Artesanato em pedra vulcânica

Por que dizemos que o Deserto de Atacama é o mais seco do mundo?

Por que dizemos que o Deserto de Atacama é o mais seco do mundo?

Tierra Chiloé: Design colaborativo

Tierra Chiloé: Design colaborativo

Assine nossa newsletter e receba nossas ofertas e promoções a cada mês